Visitas

quarta-feira, novembro 09, 2011

Caso de Violência Doméstica de Rihanna

Vídeo em que Rihanna  relata o seu caso de Violência Doméstica
                              
    
                                                                                   
A 8 de Fevereiro de 2009, a cantora iria fazer uma actuação na cerimónia 51st Grammy Awards. No entanto, não compareceu e a sua actuação teria sido cancelada e, supostamente devido a um acidente de viação.

Algumas horas depois foi dada a notícia que Chris Brown, namorado de há um ano, teria agredido Rihanna, recorrendo a socos, pontapés e mordidas, facto que teria levado a cantora ao hospital.

Foi aberta uma investigação para apurar o que realmente havia acontecido naquela noite. A 5 de Março, Chris Brown teve a sua primeira audiência, e foi julgado por agressão. O advogado da cantora afirmou que esta, não queria qualquer tipo de protecção em relação ao cantor.

A Maio de 2009, alegadas fotos da cantora nua teriam sido colocadas na Internet. Ainda sem certezas de que fosse a cantora nas fotografias, existiram rumores que a sua editora, Def Jam, pediu para que o material fosse retirado da rede cibernética, no intuito de que fossem analisados por peritos.

Foram procurados editores de imagem, que teriam comparado fotos da cantora, e teriam notado a ausência de tatuagens. No decorrer do mês de Maio, foram colocadas fotos constrangedoras do cantor, acusado de agressão a Rihanna.

No final do mês Maio, ocorreu a quarta audição do caso de violência doméstica, e ficou marcada uma quinta audição para ouvir os testemunhos, incluindo Rihanna, que testemunhou na audiência preliminar, dando seguimento ao julgamento.

O cantor confessou que tinha agredido a ex-namorada, sendo condenado a cinco anos de liberdade condicional e seis meses de trabalhos comunitários.

Foi ainda advertido que seria condenado a quatro anos de prisão em regime fechado caso não cumprisse o acordo no tribunal e não mantivesse a distância mínima de cinquenta metros da cantora.

Em Julho, Chris Borwn, pediu desculpas à ex-namorada pela agressão num vídeo colocado no seu canal oficial no YouTube.

No mês seguinte, o cantor teve de voltar ao tribunal para recorrer à sentença, embora tivesse sido revelado pelo advogado da cantora que a sua cliente discordava da ordem judicial que o proíbe de aproximar-se dela.

A cantora falou pela primeira vez publicamente sobre o caso no programa Good Morning America, a 5 de Novembro de 2009. Passados meses da agressão, depois do julgamento e sentença, Rihanna afirmou estar bem e recuperada, mas que foi "difícil e fez com que acordasse de forma diferente". 
A polícia de Los Angeles  investiga  agora outros episódios de violência entre o casal.
Uma fonte policial disse: "Estamos investigando se o ferimento em seu olho foi causado por Brown. Pode haver uma explicação inocente, mas a polícia acredita que ela tenha recusado anteriormente prestar queixas contra Brown. Ela agora está sendo questionada sobre ferimentos no passado e está começando a abrir-se sobre os incidentes no seu relacionamento".
Uma fonte da polícia de Los Angeles disse: "Estamos interrogando seus amigos e empresário, que contou que ela apareceu com marcas e ferimentos misteriosos antes, mas sempre se recusou a dizer o que os causou. Em uma ocasião ela apareceu com um tapa olho, dizendo que havia arranhado a córnea".
Brown foi acusado de fazer ameaças após o episódio de domingo. É provável que a acusação de violência doméstica seja acrescentada ou substitua a acusação inicial.
O tabloide "The Sun" revelou que depois da briga de domingo, Rihanna relutava em prestar queixa contra o namorado, mas foi convencida por sua mãe, Monica.
A cantora foi vista com um hematoma no pescoço em Dezembro. A revista "US Weekly" afirmou: "Chris e Rihanna tem um relacionamento muito instável. Ele pode ser selvagem e exigente".
A revista informou que os problemas na relação do casal ficaram evidentes dois dias antes do Grammy, em uma festa cujo anfitrião foi o produtor Timbaland. Brown teve na festa um ataque de ciúmes, acusando Rihanna de dormir com o produtor.
O cantor terminou o seu relacionamento com Rihanna na sua página do Facebook e escreveu: "Vocês vão começar a vê-la em cores verdadeiras. Acredite!"
Chris Brown tem se mantido recluso desde domingo. O mesmo não pode ser dito sobre os membros de sua família. O padrasto do cantor negou ter batido na mãe de Brown, contrariando acusações do cantor em uma entrevista de 2007.
Agora uma prima do cantor, Phylicia Thompson, diz: "Chris não foi criado para bater numa mulher. Então, ele deve ter sido provocado. Ele não faria isto para se divertir. Mas o que acontece entre quatro paredes, ninguém sabe".
Ela disse que Brown está deprimido por causa da atenção que o caso tem recebido dos media.
"Ele está se sentindo chateado agora porque os fãs estão desconfiando dele, como se ele tivesse feito algo errado. Claro, ele errou, mas como eu disse, não sabemos o que houve. Ela deve tê-lo provocado. Chris nunca faria algo assim."
Thompson, que encontrou Brown pela última vez em abril de 2008, acrescentou: "Todos amam Chris. O que aconteceu me surpreendeu. Ele nunca foi uma criança problematica."

As imagens abaixo foram um tratamento de choque para a sociedade ávida por justiça e proteção à mulher.




rihanna apanha de Chris Brown

Quando uma situação de violência doméstica atinge a esfera das celebridades, ela ganha maior espaço no centro difusor mediático e alcança uma resposta optimista do público que sofre do mesmo mal. Isso quando as pessoas agredidas colocam a boca no trombone e denunciam o agressor. O que não aconteceu neste caso. Seja por amor ou por medo, o que causou mais estranheza, ou não, é a reacção da cantora diante da situação: ela preferiu voltar para o namorado, depois de uma breve prisão do jovem furioso.
O que as mulheres precisam recuperar, em alguns casos, é a auto-estima e a coragem de abrir o verbo contra machismos, conservadorismos e a violência.
Exemplo disso, é o caso da cearense Maria da Penha, que tem uma lei contra a violência doméstica em seu nome. Ela foi vítima de tentativa de homicídio pelo ex-marido, o que a deixou paraplégica. Mas não a deixou incapaz de batalhar por seus direitos,conseguindo chamar a atenção dos direitos humanos internacional, sancionando, através da justiça, a Lei Maria da Penha de número Lei n. 11.340.







Um comentário:

  1. n tem vergonha na cara para fazer aquilo !!!

    ResponderExcluir